Prostituta compensada por danos físicos e morais

January 17, 2006


Não tenho dados concretos da notícia. Apenas me estou a basear naquilo que ouvi na rádio. Procurei net-a-fora pela notícia, mas nada encontrei para poder ser mais preciso. Então terei mesmo que me basear na memória, sujeito a não estar exactamente correcto.

Então é assim: uma ex-prostituta italiana, de 40 anos e já reformada, foi alvo de uma investigação fiscal italiana, indiciada pelo facto de ter 6 casas e muitos outros sinais de riqueza e de nunca ter descontado para o fisco. A senhora não teve problemas em se justificar, informando que tinha sido prostituta e que por não ser uma actividade legal, não procedeu aos respectivos descontos. Sendo alvo da instauração de um processo, a senhora (bem carregada de dinheiro para poder contratar bons advogados), levou o caso ao Tribunal Europeu, onde justificava que o dinheiro ganho ao longo dos seus anos de prostituição não mais seria do que compensação financeira pelos danos morais e físicos provocados pelos abusos que ela sofreu. E não é que pegou?! A senora foi ilibada. Ficou sem qualquer tipo de castigo e mais importante ainda, ficou com todos os seus euros arduosamente conquistados.

Agora digo eu: não será um grave precedente que se abre? Em caso de igual investigação, não poderão todas as prostitutas levarem o caso ao mesmo tribunal, na certeza de virem a ser ilibadas? Creio que depois disto o único caminho será a legalização da prostituição. Será melhor para todos. Uma actividade perigosa que se tornaria fiscalizada, sujeita a maiores e controlados rigores, baixando a percentagem de doenças transmitidas, aumentando a segurança e bem-estar da prostituta (principalmente) e do seu cliente. E assim as prostitutas contribuiriam igualmente para as finanças do país.

A prostituiçao existirá sempre. Mais vale que seja de um modo legal e seguro que perigoso e ilegal.

Advertisements

3 Responses to “Prostituta compensada por danos físicos e morais”

  1. Elvira Says:

    Sabias que já existe um sindicato internacional dos trabalhadores do sexo? E até tem delegação em Portugal. Vi isso numa reportagen da SIC Notícias.

  2. Ric Jo Says:

    Por acaso sabia. e acho muitíssimo bem. E a responsável pelo sindicato das trabalhadoras do sexo em Inglaterra é Portuguesa!

    Há que legalizar a prostituiçao.

  3. Zita Says:

    Olá a todos,
    Ric, no problem por teres post(ado) o meu mail, mas se eu soubesse que ficava para a posteridade… Teria redigido um verdadeiro texto :)!
    Tambem vi essa reportagem, devo confessar que chocou a minha posição liberal sobre o assunto… Sou a favor da legalização da prostituiçao por varios motivos,muitos deles enunciados por ti neste post, mas nessa reportagem passam a imagem da \”profissão mais antiga do mundo\” como sei lá, como se fossem empregados domesticos ou secretários. Aí, na minha opinião caimos no exagero, a prostituição deve ser encarada como 1 profissão, mas sem perdermos a noção da especificidade inerente, caso contrário ainda temos problemas semelhantes à noticia que enviei.
    beijocas e abraços


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: