(Pequena) Dissertação sobre o Natal (II)

December 28, 2005


Hoje vou-me debruçar levemente sobre aquelas pessoas que não podem passar a noite de Natal junto das suas famílias por razões profissionais. Há muitas profissões que provocam tal situação: os pilotos de aviões e consequentemente todos aqueles cujo trabalho está associado aos aeroportos; os médicos, enfermeiros e assistentes; os agentes da polícia e GNR; trabalhadores de rádio e televisão, etc. Haverão mais. Mas queria-me debruçar somente sobre aqueles que trabalham nas Portagens das Autoestradas. Já pararam para pensar sobre aqueles que têm de passar a meia-noite do Natal sentado numa portagem à espera do carro que quase de certeza não vai lá passar àquela hora, especialmente em portagens das Autoestradas não-principais, tais como os que estão na Portagem de Riba de Ave (autoestrada Braga-Guimarães)?! É que um piloto de avião ou qualquer outro trabalhador de um aeroporto está a trabalhar para pessoas que até poderão estar ainda a caminho do Natal deles, noutro país e noutro fuso horário; os médicos, enfermeiros e assistentes estão a cuidar de doentes e por vezes a salvar vidas à meia noite da noite de Natal; os agentes da Polícia e GNR estão a zelar pela segurança (ou pelo menos deveriam…) dos cidadãos; os trabalhadores de rádio e televisão estão, quanto mais não seja, a fazer companhia a algum pobre que passa a noite de Natal sozinho. Mas um trabalhador de portagem não! Qual a probabilidade de um carro passar entre as 22h e a 1h da manhã na saída de Riba de Ave na noite de Natal, por exemplo?! Deve ser praticamente nula. E deve ser bastante frustrante e difícil para a pessoa que está enfiado naquele cubículo, só.
Foi só um pensamento :)
Continuação de boas festas.
Advertisements

7 Responses to “(Pequena) Dissertação sobre o Natal (II)”

  1. doitanto Says:

    podem sempre levar a familia toda para o cubiculo e faze lá a ceia…

  2. Zeph Says:

    …por acaso cada vez q passo n saida da A4 para Paredes ocorre-me um pensamento parecido com esse…

  3. Raquel Says:

    Q coencidência…
    No dia 27 quando parei na portagem de Riba D\’Ave para pagar, pensei exactamente no mesmo…
    É triste, realmente! E por isso, se calhar, no dia 23 qd a Sra da portagem me desejou com vontade \”FELIZ NATAL\” me tocou tanto…

  4. Ric Jo Says:

    É de facto um pouco triste. Os restantes trabalhadores ao menos passam a noite acompanhados pelos colegas. Os das portagens ficam mesmo sozinhos… Mas alguem tem que o fazer, não é?… C\’est la vie!

  5. doitanto Says:

    há coisas piores, tenho mais pena de quem passa sózinho o Natal, na rua , sem comida, sem prendas,sem esperança…

    Ric, já agora aproveito para te dizer que vou passar a passagem de ano a Braga, se ficares por lá diz alguma coisa.

  6. Ric Jo Says:

    É claro que esses casos são bem piores. Mas referia-me apenas a ausências de natal devido ao emprego, logo virado para as pessoas que têm emprego.

    Tb vou tar por lá. Comunico ctg! O nº de tmv é o mesmo?


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: